O primeiro “iogurte” (sem leite e sem soja)

Eu já estou que nem posso desde ontem, mas só hoje tive tempo para contar a novidade.

Sempre que digo a alguém que a Sara não come iogurtes, dizem-me logo: “bla bla bla, mas existe de soja”. Grande novidade, mas a soja aqui não é uma alternativa. Reatividade cruzada, lembram-se?

Pesquisei muitas receitas de iogurte caseiro, tenho iogurteira, mas o processo de fermentação que é necessário para fazer iogurte não acontece de qualquer maneira. Fiz com leite vegetal, com o leite da Sara, juntei fermento para iogurte, mas não resultou. Investiguei e descobri que o fermento precisa das proteínas para se desenvolver, por isso o processo funciona muito bem com leite de vaca, cabra ou soja. Mas com outros não, precisamente porque lhes faltam as proteínas.

Depois tentei receitas de falso danoninho, com gelatinas, leite de côco, etc., mas a textura não me convenceu, nem a Sara gostou. Aqui a explicação é: para quê tentar dar coisas muito doces a uma criança que está habituada desde que nasceu a tomar leite amargo?

Rendi-me a uma receitinha disponível no site do leite da Sara – Nutramigen. Ficou com ótimo aspeto e textura. Ontem juntei bolacha e hoje ela comeu com banana. Outro detalhe importante é que não leva açúcar.

img_1349

Ingredientes

180 ml de água

6 medidas do leite da criança

1 colher de sopa de amido de milho (maizena)

Misturar o amido de milho com um pouco da água para disfazer bem. Levar ao lume e juntar o resto da água. Cozinhar durante 3 minutos, sempre a mexer para não formar grumos, até engrossar.

Retirar do fogão e juntar o leite aos poucos, mexendo sempre para ficar uma mistura homogénea e macia. Depois coloquem o recipiente dentro de outro com água fria para arrefecer o preparado.

Depois é só colocar dentro de copinhos com tampa e levar ao frigorífico. Estas medidas dão para 2 iogurtes e conservam-se durante dois dias no frigorífico.

img_1346

img_1354

Após esta grande vitória, ainda ouvi a minha kidas dizer:

“Mamã, és a minha heroína porque fizeste iogurte pra mim, e agora vou poder lanchar iogurte na escola com os meus amigos!”

Artigos Relacionados

27 comments

    • Susana Figueira says:

      Olá Priscila,
      Eu nunca experimentei juntar a fruta no momento da preparação. É uma questão de tentar para ver se fica bom.
      Eu adiciono sempre fruta fresca cortada aos pedacinhos só depois de frio.

  1. teresa says:

    obrigada pela partilha de receitas e experiencias. Tb sou mae de um bebe com intolerancia à caseina, ovo, nozes, amendoas, coco, etc, etc…

    qdo digo a alguem o que ele não pode comer ficam a olhar para mim como se fosse o fim do mundo, mas realmente não é! Nós estamos formatados para uma dieta monótona e agora vou redescobrindo que a alimentação pode ser tão diversificada e divertida

    Hoje de manhã (mais uma vez) me perguntaram se ele não podia comer iogurtes… parece uma paranoia.

    decidi arranjar um iogurte caseiro 100% seguro e “descobri” que realmente não sou única com este dilema 🙂

    obrigada pelas receitas, vou experimentar para ele variar de texturas e para poder partilhar o “momento do iogurte”

    bjs

  2. telma says:

    Ola minha filha tem 2 anos e meio, e tambem tem APLV a soja e ao ovo.
    Sou tambem da ilha da Madeira e tentei fazer o iogurte mas com o leite dela da Aptamil segui a receita e ficou com umaboa textura depois de estar frio coloquei em copos fechados…mas no dia seguinte o iogurte ficou completamente liquido.
    queria perguntar porque isto aconteceu?Estava tao feliz por ter conseguido fazer iogurte. … :/

  3. Marina says:

    Poxa! 🙁 Cheguei nesse site procurando uma receita de iogurte vegan q utilizasse fermento lácteo, mas parece q ñ tem como mesmo!
    Qto a este iogurte, eu já testei com leite vegetal e dá certo, inclusive dá pra bater o leite no liquidificador com frutas ou misturar o suco de fruta (natural) antes de cozinhar! Mas não tenho mais feito este, pois o amido agora é transgênico.
    Agora uso um iogurte de arroz, q usa o amido natural do grão. Só é preciso bater o arroz cru no liquidificador com água, cozinhar até amolecer bem, e depois bater no liqui denovo. Qdo faço com arroz integral deixo de molho por uma noite, pra cozinhar mais rápido, fica uma delícia.
    Talvez possa tentar este, caso tbm tenha problemas com os alimentos transgênicos.
    Acredito que fazendo com arroz branco (q tem gosto mais fraco) e adicionando o leite q vc usa dê certo.

  4. Rita valentim says:

    Olá, experimentei a receita, pois também não dou leite de vaca e queria outra alternativa. No meu caso a receita seria feita só com 180ml de leite, visto que já não uso em pó!? Fiz com leite de Aveia, na altura até engrossou, mas no dia seguinte de manha estava liquido. Alguma sugestão?
    Obrigada

  5. Catarina Pereira says:

    Olá Sara!

    A minha filha tem 6 meses e foi lhe diagnosticado agora APLV. Não consigo que ela beba o leite nutramigen. Já adicionei umas colheres de papa Sinlac e mesmo assim aquilo é horrível. Tem alguma dica para melhorar este leite, de forma a que ela beba? Obrigada

    • Susana Figueira says:

      Olá Catarina, felizmente não tive esse problema. Cheguei a fazer a papa sinlac com nutramigen em vez de água, e ela também gostava. Com 6 meses é complicado arranjar outras coisas para adicionar. Lembrei-me de bolacha esfarelada, mas não sei se já come bolacha.

  6. Lénia says:

    No meio de pesquisas sobre alternativas ao iogurte para a minha filha potencialmente APLV, segundo a alergologista (só falta mesmo o teste para comprovar porque as crises de asma, infelizmente, não enganam), encontrei esta sua publicação e queria agradecer-lhe pois, pela primeira vez, aos 13 meses, a Valentina comeu o seu primeiro iogurte sem ficar a “apitar” <3 Muito obrigada 🙂

  7. Joana says:

    Adorei a ideia, sem maizena em casa, decidi experimentar com a farinha de arroz que uso para fazer as papas da Simone , e ela adorou os dela com pedacinhos de abacate e bolacha 🙂 obrigada pela partilha! Beijinhos

Deixe uma resposta