Bolo de arroz (sem leite, com ovo)

A temporada dos aniversários na nova escola começou esta quarta-feira, por isso resolvi testar uma nova receita no passado fim de semana.

Sempre gostei de bolo de arroz. Não fiz nas formas pequenas para ficar como os bolos das pastelarias, mas saiu um bolo de arroz de tamanho grande. Esta é uma receita adaptada da Bimby.

A Sara por enquanto só come ovo em casa, e voltei a introduzir nesta receita.

Ingredientes

250 gr de farinha de trigo

200 gr de farinha de arroz

200 gr de açúcar

4 ovos + leite de aveia = 500 ml (usei o leite de aveia com aroma de baunilha)

150 gr de margarina sem leite

25 gr de fermento

1 colher de chá de essência baunilha

Pré aquecer o forno a 200º.

Num recipiente misturar muito bem o açúcar e a margarina. Adicionar os ovos, o leite de aveia e a essência de baunilha. Por fim, incorporar as farinhas e o fermento.

Colocar o preparado numa forma redonda forrada com papel vegetal. Para fazer a crosta de açúcar, polvilhar com açúcar antes de colocar no forno (opcional).

Colocar no forno a 180º durante aproximadamente 50m.

O primeiro dia de aulas

A escola começou no dia 11.

Depois de passar as últimas semanas a apreciar e a sentir o cheiro de material e livros novos, chegou finalmente o dia de estrear tudo.

Levantou-se cedo, vestiu a farda nova (fica a coisa mai linda), tomou o pequeno-almoço e foi toda contente para a escola.

É nova numa turma em que todos já se conhecem uns aos outros. Em breve fará novos amigos.

Por enquanto tem vindo a casa almoçar e leva os lanches de casa. Eu ando em reuniões para tratar das questões relacionadas com a alimentação. Falar com diretora, professora, nutricionista, responsável de refeitório, chefe de cozinha. Começar tudo de novo. Havemos de lá chegar.

Bom ano letivo minha kidas. Espero que sejas muito feliz nesta nova escola.

Adeus ICB

O ano letivo acabou, prolongámos mais um pouquinho até Agosto, mas ontem foi o último dia da Sara no infantário.

Não houve grandes despedidas, porque já estão prometidas visitas em Setembro. Achei melhor que assim fosse.

Chegámos a casa carregadas com mochila e trabalhos do ano inteiro, e pensei: como é que passaram 6 anos? Não foram 6 meses, nem 2 ou 3 anos de pré-escolar. Foram 6 anos passados ali.

A Sara sentou-se na sala toda orgulhosa a mostrar os seus livros com as fichas todas feitas, e passaram-me pela cabeça alguns momentos que ficaram gravados nestes anos todos.

O dia em que escolhi a escola, grávida ainda, e achei que aquele seria um bom local para ela ficar quando começasse a trabalhar. Toda a gente sabe que quando se procura uma escola, há sempre opiniões e histórias de episódios que uma amiga da amiga da prima contou, e que muitas vezes nunca aconteceram. Esta escola estava em construção ainda, ninguém tinha histórias para contar. Ninguém podia agourar. Nunca me arrependi da minha decisão.

As primeiras conquistas da Sara. As primeiras palavras, primeiros passos, comer sozinha, cantar, dançar, e todas as outras até o dia de hoje. E coisas menos boas que aconteceram pelo meio do caminho. Tudo isso foi partilhado com a escola.

Creio que significa alguma coisa quando uma criança gosta tanto da escola, quando admira e fala sobre as pessoas que estão responsáveis por ela. Eu tenho a minha parte de responsabilidade, porque sempre falei na escola como sendo a melhor coisa do mundo. Mas também significa que ela foi muito bem tratada.

Por tudo isto, quero deixar um agradecimento muito grande ao infantário, direção, pessoal docente e não docente, por tudo o que fizeram pela minha filha durante estes 6 anos.

Correndo o risco de me esquecer de alguém, mas não posso deixar de fazer um agradecimento muito especial a estas pessoas (pela ordem das salas para não me enganar):

Andreia Ascensão, Sara Teixeira, Tânia Abreu, Andreia Sofia, Aurélia, Marta, Susana, Tânia Figueira, Carolina Flor, Ilda, Claudete, Marta 2, Carolina Leça, Reina Abreu, Sofia, Cláudia e Ana Maria.

Obrigada por terem ouvido todas as minhas recomendações, sobretudo por nunca as terem questionado. Obrigada por fazerem o possível para garantir a segurança da Sara, por nunca a terem excluído de nada, e por receberem-na sempre com o mesmo sorriso e entusiasmo, principalmente nos momentos menos bons que tivemos nos últimos 3 anos por questões de saúde.

A Sara irá com certeza guardar muitas lembranças boas destes anos passados convosco.

Obrigada por tudo.