Viajar com um alérgico – o que levar na bagagem?

Desde que a Sara nasceu temos conseguido fazer umas férias fora de casa, pelo menos uma vez por ano. Nunca me passou pela cabeça privá-la de viajar connosco por ter alergias.

Na nossa primeira viagem ela tinha apenas 5 meses e meio, só se alimentava de leite materno, e foi a única vez que não precisei de pensar o que ela iria comer em cada refeição. Por isso não senti grande pressão quando escolhemos o destino, nem o hotel, nem quando arrumei as malas…

Na segunda vez, a Sara já tinha 15 meses, e foi tudo diferente. Já comia de tudo, primeiro e segundo prato, e comecei a pensar o que podia fazer para não ficar 7 dias sem a sua alimentação habitual, a comer sempre as mesmas coisas, e sobretudo, sem reações.

De ano para ano vamos nos adaptando às necessidades dela e vou descobrindo sempre mais qualquer coisa que acho útil para levar. É verdade que levo muitas coisas extra, que outras pessoas nunca pensariam levar numas férias, mas a verdade é que até hoje fizemos as nossas férias sempre tranquilamente, sem nenhum tipo de acidente.

As minhas dicas para uma viagem são as seguintes:

Escolha do destino 

Quando escolhemos o nosso destino de férias, um requisito obrigatório é sempre ficarmos hospedados num apartamento ou aparthotel. A cozinha é imprescindível para nós, porque eu preparo todas as refeições da Sara.

Depois de escolher o alojamento, tentamos sempre pesquisar na internet mais informação sobre as proximidades. Ver se tem supermercados perto, alguma farmácia, centros comerciais, etc.

Convém falar com o pediatra/alergologista antes da viagem, para nos certificarmos que não há problema em viajar para ao destino planeado. O pediatra pode prescrever vacinas, dar algumas dicas extras, e falar sobre os medicamentos para levar.

O que levar na mala?

Posso garantir que nunca devemos pensar que vamos encontrar nos supermercados do nosso destino de férias o mesmo tipo de coisas que costumamos comprar para casa, principalmente se formos para fora do nosso país.

Com base nisto, e dependendo da duração da viagem, aconselho a separar uma mala só para alimentação com o seguinte:

– leite da criança + biberões

– papinha de farinha não láctea que a criança costuma comer (para crianças maiores também pode ser uma embalagem de flocos de cereais).

– bolachas ou biscoitos preferidos

– papinhas de fruta para os bebés mais pequenos

– uma saqueta de gelatina para fazer no destino

– varinha mágica (há apartamentos com cozinha muito bem equipada e que têm, mas muitos não têm muito para além do fogão e frigorífico).

– caixa hermética para guardar a sopa

– 1 ou 2 toalhas de louça (o detergente e a esponja podem comprar no destino se preferirem).

– prato e talheres da criança + copo da água (isto se em casa também costumam separar tudo).

– Para não andar à procura de arroz e de massa e ter de comprar uma grande quantidade para poucos dias, podem levar um recipiente com tampa com uma pequena quantidade de arroz e massa crua para cozer depois.

– Termo para levar a sopa em passeio (atenção ao tempo que fica dentro do termo, e à exposição ao calor, porque a sopa pode ficar azeda).

– Lancheira/bolsa térmica para levar alimentos nos passeios.

Medicamentos

Levar sempre o kit com os medicamentos de SOS receitados pelo pediatra/alergologista. Além dos medicamentos para as reações alérgicas, levar aqueles medicamentos básicos para quem tem crianças: febre, dores, pequenas feridas, etc.

Na hora do voo

Aqui nunca fomos para destinos muitos distantes, em que o voo é tão longo, que é necessário fazer mais do que uma pequena refeição durante a viagem. Para esses casos penso que o melhor é informar a companhia aérea para ver se existe a possibilidade de fornecerem alguma alternativa para o alérgico e pedirem a refeição com antecedência.

No nosso caso, até agora fizemos viagens com duração máxima de duas a  três horas. Na bagagem de mão não pode faltar o seguinte:

– Medicamentos SOS + receita + atestado médico

– Mochila com lanches leves (bolachas, fruta, sumo e água). Se for uma bebé pequeno levar o biberão com a dose certa de leite. Depois basta pedir água mineral aquecida. As tripulações estão acostumadas a estes pedidos.

Chegando ao destino…

Quando chegamos ao nosso destino, a primeira coisa que fazemos é ver as condições do nosso quarto, como a cozinha está equipada, para ver se temos tudo o que é preciso. A segunda coisa é ir ao supermercado mais próximo e comprar as verduras para a sopa, frutas frescas, água e o que for necessário para fazer as refeições da Sara.

Quando fazemos as nossas refeições no restaurante do hotel, onde o buffet tem de tudo e mais alguma coisa, faço sempre uma vistoria para encontrar algumas coisas seguras para ela comer, e normalmente há pão, fruta, sumos naturais, e ela fica contente por comer coisas diferentes. Mas levo a sopinha sempre comigo para ela comer na mesa connosco, tal como fazemos em casa.

Penso que escrevi o essencial para ajudar numa primeira viagem.

Artigos Relacionados